Bolsonaro, Tubarão e Chernobyl

No começo do filme Tubarão, corpos começam a aparecer nas praias. Um oceanógrafo avisa ao prefeito de que um tubarão assassino está na região. O prefeito tem outras preocupações. É temporada de turistas, as praias estão cheias assim com os hotéis.

_ Não podemos atrapalhar a economia da cidade. Você vai causar pânico!

No fim o tubarão come um monte de gente, numa tragédia que poderia ser evitada.

Esse tipo de história tornou-se clichê no cinema. A estrutura é:

1. Um cientista descobre um vulcão para explodir, uma avalanche eminente ou uma invasão zumbi.

2. Ele avisa as autoridades.

3. Os políticos (ou empresários) ignoram para:

3.a. Não causar pânico;

3.b. Não prejudicar as eleições;

3.c. Não prejudicar a economia;

4. A catástrofe acaba acontecendo.

Seria bom se isso ficasse restrito só ao cinema mas esses erros se repetem no mundo real.

O filme Titanic mostra como o engenheiro que construiu o navio pediu que não se usasse a velocidade máxima na primeira viagem, era melhor testar a embarcação. O empresário dono do barco recusou, queria bater todos os recordes para ganhar as manchetes dos jornais. O resultado todos sabemos.

Em Chernobyl, quando a usina explodiu, os cientistas tentavam alertar para a gravidade da situação, por outro lado, burocratas comunistas não queriam alarde, diziam que os cientistas estavam exagerando. No final tivemos um dos mais graves acidentes do século XX.

O erro se repetiu em Wuhan, onde surgiu a Covid-19. Os médicos alertaram a chegada de uma nova doença altamente contagiosa. As autoridades locais ignoraram os alertas e o vírus se alastrou.

Como você estava esperando, chegou a hora de falar do Brasil.

Bolsonaro repete aquilo que fizeram todos os vilões de filme, age como os o prefeito da cidade do tubarão e como comunistas de Chenobyl e Wuhan. Ele ignora a gravidade de uma das piores ameaças da humanidade. O resultado é inevitável. Quem vai julgá-lo é a história. Mas a vida não é filme, milhares de mortes acontecerão no Brasil devido a sua irresponsabilidade. Serão pessoas de verdade, pessoas que amamos.

Eu torço que seus crimes também sejam julgados pelos homens. A atitude do presidente tem nome, chama-se assassinato em massa.

2 comentários

  1. Coincidência. Estava pensando sobre filmes e a realidade brasileira. E estava pensando como alguns gostam de ver esse gênero de filme, mas qdo chega um momento como o atual não consegue, ou não admite, que está agindo como as autoridades, como o empresário, dos filmes citados.
    Pensei tb em Bird Box.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s