Pazuello, uma biografia

Eduardo Pazuello era um pequeno carioca mimado e feliz, o gordinho da família. Porém, teve problemas quando entrou na escola. A vida não havia preparado o “Briochinho da Mamãe” para a crueldade dos colegas de classe. Foram anos pagando lanche e entregando as figurinhas para os amiguinhos violentos.

Devido a tanto sofrimento na escola, decidiu entrar no exército, onde poderia um dia ser alguém forte, nunca mais pagaria lanche para os outros.

A vida no exército não poderia ter sido melhor. O “Briochinho” se tornou um homem, amadureceu, subiu de patente no melhor país do mundo para ser militar. Sem guerras, Pazuello passou 30 anos hasteando bandeiras e carimbando papeis até ganhar virar General.

Em 2020, estava em seu gabinete jogando paciência no computador quando foi convocado pelo presidente Bolsonaro para o cargo de Ministro da Saúde. Ganharia quase 40 mil reais além do soldo e Bolsonaro havia dito que ele não precisava fazer nada. O General se encaixava totalmente nas qualificações. Era o emprego dos sonhos.

Os primeiros seis meses foram perfeitos. Pazuello jogava diariamente seus joguinhos de paciência enquanto aguardava o fim do dia para bater o ponto e ir embora. Não incomodava seus subordinados e não era fustigado pelo presidente. O único problema eram os jornalistas perguntando sobre a Covid-19. Bando de comunistas…

Porém em janeiro foi surpreendido por um telefonema de Bolsonaro.

_ Por que o Doria tem a Vacina e eu não tenho?

Pazuello não entendeu.

_ O senhor não tomou vacina na infância?

Foi o estopim para uma bronca de mais de meia hora. Bolsonaro gritava e esbravejava, lembrando os bullings que o ministro sofria na infância.

Pazuello não entendia nada de vacinas e nem sabia que era preciso enfrentar essa tal Covid. Depois se informou com os técnicos dos Ministério e descobriu que não havia vacinas para o Coronavirus a venda na Drogasil. Era tarde demais.

Agora há matérias nos jornais o ofendendo diariamente, o presidente liga a toda hora e dá novos esporros, até no grupo de whatsapp da família tem gente cobrando a vacina. Uma chatice. Se o salário não fosse tão bom, o Briochinho já teria pedido demissão.    

3 comentários

Deixe uma resposta para O Miau do Leão Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s