Dois sonhos e uma borboleta

Sou um crente cético. Acredito desacreditando. Sempre acho que há explicações lógicas e científicas para qualquer fenômeno paranormal ou espiritual, mas meu coração deseja profundamente que existam mais coisas entre o céu e a terra,

Com a morte de alguém amado é comum que procuremos ler coincidências como sinais. Certo ou errado, é normal e saudável que acreditemos nestes sinais.

Pois passado um mês da partida do meu pai, o lado crente do meu cérebro se sobrepôs ao cético e anotou três histórias que divido com vocês.

Sonho 1

Eu estava em um pequeno teatro sentado ao lado do meu pai, numa situação parecida com os shows da Esther, mas no palco, quem apareceu para cantar foi um amigão de meu pai, Jaime Koiffman, falecido há uns 2 anos. No sonho, meu pai me diz que precisava ver o Jaime mais de perto, se levanta e senta-se na primeira fileira do teatro.

Fiquei pensando se o sonho indicaria um reencontro dos dois, ou até mesmo uma vontade do meu pai de rever tanta gente que ele amava e que está no andar de cima.

Sonho 2

O segundo sonho foi me relatado pelo amigo Beto Kleiman que mora em Washington. Ele contou que estava triste por não ter participado das reza on-line que fizemos para nos despedir de meu pai.

Uma noite, ele sonhou comigo e com meu irmão. Nos sonho nos abraçávamos os três, com grande emoção. No dia seguinte, o Beto recebeu de meu irmão o convite para participar da reza de 30 dias do falecimento.

A Borboleta

Na primeira vez que fui a ao mercado depois do falecimento, estava no estacionamento, levando as compras para o carro, quando uma borboleta branca começou a me rodear. Voava me acompanhando e de repente pousou no meu carrinho, bem sobre as verduras, ficou um pouco depois sobre as frutas. Lembrei de meu pai que adorava fazer feira, escolher cada um dos vegetais que levava para casa.

“Experimenta essa nêspera, super doce”

 “Está na temporada das jaboticabas, estão ótimas”

A borboleta me acompanhou até que cheguei ao carro e depois decolou, desaparecendo no céu azul de outono.

Será que eu já tinha visto uma borboleta branca?

4 comentários

  1. Excelente.
    Olha Lúcio, vc sabe que sou gelado como um soviético rsrsrs e não sei pq e nem como, mas escorreu uma lágrima aqui… não sei da onde veio mas talvez exista uma explicação lógica.

Deixe uma resposta para Beto Martins_Guziej Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s